sábado, 15 de agosto de 2009

Vadiagem malemolente

O título deste post é inspirado no Jacaré Banguela, um blog dos bons que circulam pela rede.

Nele há um post em série, cujo título é vadiagem malemolente, que apresenta fotos de pessoas flagradas em plena tranquilidade e uma lista de links úteis para quem não tem mais nada de importante para fazer.

Algo bem parecido com o "ponto facultativo" do Estado e da Prefeitura, durante a visita do presidente Lula, que me lembrou um pouco dessa vadiagem malemolente.

É que até as escolas municipais acabaram por liberar alunos, professores e servidores para irem ver o companheiro, conforme apontou a matéria de Érika Lettry e Ricardo César, do Jornal O Popular, com foto do fotógrafo Ricardo Rafael. (clique aqui se for assinante do jornal)


No trabalho, os jornalistas mostram como teria sido feita a "chamada" na Praça Cívica e a estrutura de ônibus que estava a disposição nas escolas e até em cidades do interior.

O pior é a Secretaria Municipal de Educação tentar explicar que a carga horária dos alunos está em dia e que essas liberações são "facultativas".

Além de vadiagem malemolente, esse também pode ser um estudo de caso de teorias da comunicação, conforme as premissas de Paul Lazarsfeld, Harold Lasswell, Melvin DeFleur, Walter Lipmann e até da Escola de Frankfurt.

Nenhum comentário: