sábado, 15 de agosto de 2009

Um elefante numa sala de cristais

Pelo menos foi essa a impressão que o presidente Lula deixou aos seus "aliados".

O PMDB não gostou dos elogios ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que deram uma clara impressão de que o Planalto prefere ver o ex-tucano no Governo Estadual a ver o prefeito de Goiânia, o peemebista Iris Rezende.

Ate mesmo dentro do PT teve gente insatisfeita. Tudo por causa do mesmo Henrique Meirelles, que levou Lula a deixar o deputado federal Rubens Otoni de lado em Anápolis para citar Pedro Wilson, ex-prefeito de Goiânia e também deputado federal. Detalhe: Rubens Otoni é de Anápolis e é um dos principais articuladores de Lula em Goiás.

Essas passadas na sala de cristal fizeram com que PT iniciasse uma operação-calmante, tanto entre os companheiros petistas quanto entre os peemedebistas.

Quem ficou com aquele sorriso arteiro foi o PP, que se sentiu fortalecido, uma vez que se fala na preferência de Henrique Meirelles pelo partido.

O problema é que os pepistas são aliados do PSDB em Goiás. E os tucanos prometem aumentar o tom da oposição ao governo Lula depois da aproximação entre o presidente e o ex-aliado Alcides Rodrigues, que já foi vice-governador de Marconi Perillo, cuja pretensão é se candidatar ao Palácio das Esmeraldas para evitar uma vitória de Iris Rezende, peemedebista de uma provável eixo que inclui o PT e o PP.

Isso lembra a coluna Ligações Perigosas, da saudosa revista Bundas.

Um comentário:

Deire Assis disse...

Bênia, a única coisa que consigo pensar é que tem gente incompetente demais de todos os lados... Que desastre!