sexta-feira, 10 de abril de 2009

Vício

Desde julho de 2008, quando eu iniciei este blog, eu nunca havia mencionado uma linha sequer sobre um vício que eu tenho - as camisas de futebol.

Tema recorrente nas minhas conversas e saídas com a Raquel (namorada que vai pro céu tamanha paciência com as repetidas entradas em lojas para alimentar o vício, nem que seja só para ver), as camisas ganharam um destaque nessa semana.

Tenho usado uma por dia, com algumas repetições, afinal, de toda coleção tem uma ou outra que gosto mais. Mas uma em questão tem um destaque especial - a camisa do Peñarol, do Uruguai.



Essa eu comprei em Rivera, na cidade que faz fronteira com Santana do Livramento, no RS, terra de meu pai.

Na verdade ela foi um presente de minha vó, Maruca, que me dera 50 reais de presente. Na época eu estava me aproximando cada vez mais do futebol.

E foi nessa circunstância que surgiu o vício, já que decidi que dali pra frente, sempre que possível, eu iria comprar uma camisa de time (oficial, de preferência) para guardar de lembrança daquele lugar. No caso em questão, a recordação era de Rivera.

Tempos depois a coleção fugiu do propósito. Prova disso é que nunca estive na Nigéria, Suécia ou Croácia. Mas tenho um exemplar de casa país. Apesar disso, o propósito foi resgatado com as camisas do Internacional e do Independiente (Argentina), que convivem com exemplares da França e Turquia, países que eu vou conhecer um dia.

Mas esses casos são assuntos para outros posts. Um sobre a manutenção do propósito. E outro sobre o propósito que virou vício em futebol.

A Raquel que o diga.

4 comentários:

Eduardo Sartorato disse...

Camisa de futebol é ótimo de colecionar. O problema é o $$$ que envolve o processo. Espero poder, no futuro, expandir minha coleção....

Lisandro Nogueira disse...

Olá Bennia,
Imagino que na sua coleção você tenha umas quatro camisas do mais importante clube de futebol do centro-oeste-sudeste brasileiro: o VILA NOVA.
parabéns pelo blog. Lisandro Nogueira.

Andre Benia disse...

Fazer crescer a colecao sem roubar as do irmao sao outros quinhento, ne!?

E a Raquel realmente vai pro ceu, mas nao somente por esse fator!!!

Tiago Bênia disse...

Que eu me lembreo irmão aqui já deu duas camisas de presente para o irmão ingrato. Hehehe

Abraço