sexta-feira, 20 de março de 2009

Projetos de longo prazo adiados

Hoje, numa entrevista sobre o fim da Defensoria Pública Municipal, o chefe da procuradoria de assistência judiciária, Mário Gonzaga Jacó, explicou que a suspensão do atendimento se deu com a reforma administrativa da prefeitura.

Apesar do fato prejudicar pessoas de baixa renda que não podem pagar um advogado, a prefeitura agiu de acordo com a Constituição Federal, já que Defensorias Públicas são atribuições do Estado e da União.

O argumento foi bastante conveniente, já que era preciso enxugar a máquina pública municipal. Mas precisava ser na Defensoria, que foiu criada com o propósito fornecer a assistência que o Estado deveria ofertar?

O lado "positivo" dessa história toda é que mostrou que o Palácio das Esmeraldas não se preocupa muito com alguns tipos de problemas, como o da assistência judiciária a pessoas de baixa renda.

Mas o pior é saber que tanto o atual governador como os anteriores sempre deixaram o assunto de lado.

Resta saber se o projeto de Defensoria, já aprovado por Alcides Rodrigues, sairá do papel.

E tem gente que só lembra de Copa 2014.

Nenhum comentário: