sábado, 21 de março de 2009

City Bus, um ônibus bem diferente

A prefeitura de Goiânia organizou o lançamento dos 65 micro-ônibus neste sábado. Eles terão ar condicionado, TV Digital e até internet sem fio. A passagem claro, custa o dobro da normal, ou seja, R$ 4,00.

Entrei num desses ônibus. Achei bacana, apesar do preço. Aí fui falar com o motorista, que trabalha na HP. Perguntei para ele se teria briga para conduzir o micro-ônibus, já que eles eram novos e com ar condicionado.

Com uma cara de desiludido, ele virou e disse: "Rapaz, aqui vai dar é briga para fugir".

Perguntei o motivo, e ele foi bastante direto: "Aqui eu ganho R$ 650 enquanto que no outro (o coletivo normal) eu recebo mil e poucos reais por mês".

É, realmente o City Bus é bem diferente. E as empresas afirmam que precisam cobrar mais porque os veículos têm um outro padrão.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Projetos de longo prazo adiados

Hoje, numa entrevista sobre o fim da Defensoria Pública Municipal, o chefe da procuradoria de assistência judiciária, Mário Gonzaga Jacó, explicou que a suspensão do atendimento se deu com a reforma administrativa da prefeitura.

Apesar do fato prejudicar pessoas de baixa renda que não podem pagar um advogado, a prefeitura agiu de acordo com a Constituição Federal, já que Defensorias Públicas são atribuições do Estado e da União.

O argumento foi bastante conveniente, já que era preciso enxugar a máquina pública municipal. Mas precisava ser na Defensoria, que foiu criada com o propósito fornecer a assistência que o Estado deveria ofertar?

O lado "positivo" dessa história toda é que mostrou que o Palácio das Esmeraldas não se preocupa muito com alguns tipos de problemas, como o da assistência judiciária a pessoas de baixa renda.

Mas o pior é saber que tanto o atual governador como os anteriores sempre deixaram o assunto de lado.

Resta saber se o projeto de Defensoria, já aprovado por Alcides Rodrigues, sairá do papel.

E tem gente que só lembra de Copa 2014.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Será que o Pateta vem (2)

A palestra Atingindo o sucesso e chegando à excelência, com Daniel Godri Júnior, que é especialista no assunto pelo Instituto Disney, de Orlando (Flórida/EUA), ocorreu no Plenário da Câmara Municipal de Goiânia.

Dos vereadores que deveriam estar no plenário, apenas alguns foram à Câmara e eles estiveram na posse da Associação Goiana dos Municípios, num auditório do prédio.

Já o Pateta...

quinta-feira, 12 de março de 2009

Vista grossa


Esse é o carro que dá suporte ao vereador Negro Jobs.

Explicitamente, ele afirma que vai fiscalizar Goiânia e que está de olho. Mas o engajado vereador parece não olhar bem o que faz, já que seu carro está parado na vaga reservada à imprensa.

Espaço, alías, que o carro de reportagem da CBN Goiânia nem sempre pode ocupar, já que os guardas municipais alegam que o veículo não possui os adesivos de reportagem, muito embora eu tenha identificação de repórter e o Seu Rufino, o motorista da rádio, permaneça no carro.

Pelo visto quem está de olho às vezes faz vista grossa.

Lixo à moda antiga

Esse caminhão tem feito coleta de lixo nas ruas de Aparecida de Goiânia.

À moda antiga, ele conta com dois ou três operários, que o carregam para que depois o lixo seja encaminhado ao aterro, próximo ao Complexo Prisional

Tá que o esforço da prefeitura em manter a cidade limpa é louvável, mas as condições não podem ser tão precárias assim.

Aliás, o caminhão na foto acima estava estacionado em frente à sede da Secretaria Municipal de Aparecida. E a poucos metros da Secretaria de Regulação Urbana.

Será que o Pateta vem?



Acredito que essa palestra possa ser mais útil ao Parque Mutirama

segunda-feira, 9 de março de 2009

O buraco é mais embaixo

Será que é por isso que não há metrô em Goiânia?

Cientistas divulgam gritos do inferno

Em meados de dezembro de 1989, um grupo de geólogos russos, fizeram um poço de 14.000 metros de profundidade na Sibéria; e eles afirmam terem ouvido lamentações que vinham do centro da terra, pedindo água e misericórdia. Segundo estes cientistas após ter perfurado vários Km. os equipamentos começaram a funcionar descontroladamente, dando a impressão que o centro da terra é oco.

A notícia se espalhou pelo mundo. Um jornal da Finlândia publicou a matéria, com relatos dos operários e estudiosos que ouviram a fita. Um deles, o Dr. Azzacove declarou o seguinte:

“Como um comunista eu não acredito em céu ou na Bíblia mas, como um cientista eu acredito agora no inferno. Desnecessário dizer que ficamos chocados ao fazer tal descoberta. Mas nós sabemos o que nós vimos e nós sabemos o que nós ouvimos. E estamos absolutamente convencidos que nós perfuramos pelos portões do inferno!

A perfuratriz, de repente, começou a girar velozmente indicando que tínhamos chegado a um grande bolsão vazio ou uma caverna. O sensor térmico mostrou um aumento dramático da temperatura para 2,000 graus Fahrenheit.

Nós abaixamos um microfone, projetado para descobrir os sons de movimentos tectônicos abaixo da galeria. Mas em vez de movimentos de placas nós ouvimos uma voz humana, gritando de dor! No princípio pensamos que o som estava vindo do nosso próprio equipamento. Mas quando nós fizemos ajustes nos equipamentos, nossas piores suspeitas foram confirmadas.

Os gritos não eram de um único humano, eles eram gritos de milhões de humanos! A essas alturas suspendemos a operação e ocultamos o buraco. Era evidente que havíamos descoberto algo que sobre passava a compreensão. Havíamos visto e escutado coisas que nunca foram vistas nem escutadas. Os oficiais russos se negaram a comentar este informe, esperando a crítica das fitas e a realização final das investigações neste mesmo ano.”

O curioso é que a Exxon não escutou nada na Rússia e apenas achou óleo.

Acho que isso geraria debates seríssimos sobre a viabilidade ou não do metrô aqui em Goiânia.

PS.: Será que alguém já ouviu o From Hell sobre esse assunto?

quarta-feira, 4 de março de 2009

Chicó e Jamal se conheceram?


Definitivamente não. Mas o protagonista de Quem quer ser um milionário? tem a mesma forma de contar histórias que o amigo de João Grilo.

A diferença é que no vencedor do Oscar, as histórias contadas para responder as perguntas feitas ao personagem parecem mais reais e têm uma sequência lógica. Ou seja, tem um roteiro bem amarrado.

Aliás, esse é o único o ponto forte do filme de Danny Boyle e que talvez tenha sensibilizado os "jurados" da academia.

No mais, Quem quer ser um milionário? é recheado de clichês e tem uma história digna de sessão da tarde, com alguns lances engraçados e uma proposta "moralizante" (entre aspas mesmo, para não dizer melodramática de cara), recheada de visões sobre a Índia.

Algo bastante parecido com o Auto da Compadecida, que apesar da visão cômica faz questão de trazer no roteiro visões de Ariano Suassuna e Guel Arraes sobre miséria, corrupção, traições, traquinagens. A diferença é que a tônica do humor prevalece no Auto, bem diferente do "drama" vivido por Jamal.

Mesmo assim, é possível ficar com a sensação de que Chicó e Jamal se conheceram.