quarta-feira, 23 de julho de 2008

Burocracia - Aliança FC

Mas esse não foi o único caminho para que o clube começasse suas atividades. Era preciso fazer o registro de pessoa jurídica, para que o clube pudesse assinar alguns contratos, entre eles os de contratação de atletas. O aval saiu em fevereiro de 1962, num cartório de Campinas, o L. Sampaio, que era um dos poucos estabelecimentos que informava seu telefone na porta. Quem quisesse pegar alguma informação à distância tinha que discar 8055 para falar com o tabelião. Mas até conseguir o registro, era preciso superar algumas barreiras burocráticas, como uma versão antiga das atuais certidões negativas de débitos. Só que na época, elas eram emitidas nas delegacias de polícia. Por isso, Cherife, Ibsen e Juarez foram ao 5º DP, próximo à 24 de outubro, só que na outra ponta da avenida, para conseguir um documento que atestava a identidade de cada um, além da boa conduta deles em meio à comunidade.

Com todas as exigências estabelecidas, era preciso escolher um local para receber a sede do clube. E a primeira foi na própria Avenida 24 de outubro, 645, bem próxima ao Estádio Antônio Accioly. Algum tempo depois, houve uma mudança para outra sede provisória, na Vila Abajá, bairro bem próximo ao de Campinas. O novo endereço era a Rua 6, próximo a um beco, na região do Ribeirão Anicuns.

Nenhum comentário: